Monday, August 30, 2004

E a igreja ainda acha q tah certa...

CDD Informa
Boletim da ONG Católicas pelo Direito de Decidir

INDIGNAÇÃO E DESRESPEITO



o Vaticano, por meio do documento "Carta aos Bispos da Igreja Católica sobre a colaboração do homem e da mulher na Igreja e no mundo" , choca o mundo ao tecer críticas incabíveis ao movimento feminista. No texto a Igreja Católicas se auto intitula "perita em humanidade" desvalorizando por completo qualquer tipo de pensamento que não conflua com os da Santa Sé.



Indignação é o sentimento que nos move diante de tais declarações, uma vez que o texto citado reapresenta alguns conceitos que o Vaticano já havia expressado anteriormente sobre as mulheres. Refere-se a atitudes "típicas" das mulheres como "escuta e acolhimento, humildade, fidelidade, louvor e espera", e mais, afirma ainda que "feminilidade designa capacidade fundamentalmente humana de viver para o outro e graças ao outro".

Esta visão da mulher como um ser a serviço da família, da maternidade, da Igreja, entre outros, está baseada numa extensa lista de qualidades de Maria, mãe de Jesus, tomada como referência de castidade, humildade e disponibilidade. Visão conservadora e tradicional, não compartilhada por outros setores.



Tal ideologia tão bem divulgada pelos setores conservadores das igrejas cristãs, tem sido também suporte para perpetuação da submissão das mulheres, agravando os casos de violência contra as mesmas. Além de dar subsídios para contribuir com a manutenção das desigualdade que sofrem as mulheres em todo mundo.



Ao contrário do que afirma o documento as mulheres feministas não buscam o conflito, este já existe. O que buscamos é o reconhecimento da mulher como pessoa humana capaz e portadora de todos os direitos, cidadã que há milênios luta por sua dignidade; sendo por vezes perseguida e eliminada como inimiga da paz, um exemplo claro e doloroso disso é a Inquisição, que perseguiu milhares de mulheres e matou outras tantas.



O que em última instância as mulheres buscam e a igreja não tem vontade de entender, é criar novas relações entre os seres humanos, nas quais ninguém seja excluído/a, nem as diferenças sejam motivo de desigualdades. Não se trata de "luta entre os sexos" , mas de que se faça justiça para com as mulheres. Os homens não são "inimigos a vencer", mas sim são convidados a recriar juntos o mundo em que vivemos.

Como católicas nos sentimos indignadas e envergonhadas com tanto desrespeito à figura humana do sexo feminino, especialmente aquelas que estão nas comunidades religiosas, como leigas ou religiosas, assumindo com compromisso e seriedade a maioria das tarefas da comunidade, além de cumprir como cidadã suas responsabilidades de trabalhadora e com suas famílias.

Por compromisso social, as mulheres têm assumido dupla, tripla jornada para contribuir na construção de um mundo justo, solidário e sem discriminação de nenhuma espécie. Ainda continuamos esperando uma voz de compromisso e denúncia da Igreja, pelos altos índices de violência sofrida pelas mulheres.

aguardamos, ainda, uma palavra pública de solidariedade e acolhida às muitas religiosas que no mundo inteiro sofreram abuso sexual por parte de padres, como noticiou o National Catholic Report, em 16 de março de 2001.

Ainda continuamos esperando uma atitude de compromisso e justiça para com as mulheres, crianças, adolescentes que no mundo inteiro têm sofrido abuso sexual por parte de padres.



Católicas pelo Direito de Decidir
Rua Brigadeiro Luís Antônio, 993. cj 706


Wednesday, August 18, 2004

Inicializando..........

Inicializando nosso novo blog que vai funcionar como um zine feminista.
Nossa intençção é divulgar o movimento Riot Grrrls e mostrar q mulher não é só um corpitcho gostoso, é um corpitcho gostoso, cabeça no lugar e disposição pra encarar tuuudo.
Como essa é a apresentação ficcou meio formal mas depois piora!!!
bjuz
sakura e lucy